PANORAMA | É preciso sorrir!, por Bruno Severo Gomes

Quantas vezes você sorriu hoje? E ontem? E quantas pessoas você fez sorrir nos últimos cinco minutos?

No mundo do corre-corre, da disputa, da falta de tempo, da pressa e das atividades diárias, encontramos pessoas tristes e muitas vezes nós é que estamos tristes e fechados em nós mesmos, em nossos problemas; e acabamos ficando sérios, de “cara feia”, mal-humorados, sendo omissos ou cometendo atos indelicados. Mas basta alguém nos dar um sorriso para aguçar a nossa sensibilidade.

Já reparou a cara das pessoas na fila do banco, no caixa do supermercado, no ônibus, fazendo uma caminhada ou aquela típica situação de silêncio “quase infinito” dentro do elevador? De repente, quando menos esperamos, ouvimos um nítido e sonoro “bom dia” acompanhado de um lindo sorriso.

foto: Azul Acosta
foto: Azul Acosta

Ficamos até sem graça, retribuímos com um sorriso muitas vezes estranho, porque fomos surpreendidos com tal atitude. Aquele simples sorriso nos abre para nossa essência de ser “humano” naquele momento e nos faz perceber e sentir que um único gesto, que poderia em vários casos e situações, ter partido de nós, é capaz de mudar nosso coração e nossa mente. O sorriso alonga os sentimentos, acalma a ansiedade e flexibiliza as emoções…

Rir faz bem à saúde; há muito tempo atrás, Hipócrates, no século IV a.C. já utilizava animações e brincadeiras na cura de pacientes. Em Atenas, na Grécia antiga, os doentes eram levados a espetáculos musicais, peças de teatro e se divertiam com os comediantes da época.

Estudos científicos sobre a correlação do bom humor, da alegria e dos sentimentos positivos na prevenção de várias doenças e no auxilio à recuperação de diversas doenças está ficando cada vez mais evidente, pois além do aspecto fisiológico, o riso faz bem ao psicológico e ao social. Que a tristeza e a falta de pensamento positivo não fazem bem à saúde, todo mundo concorda. O velho ditado “rir é o melhor remédio” definitivamente já ganhou um lugar de destaque também no mundo científico.

Então a pergunta feita lá no inicio – “quantas pessoas você fez sorrir nos últimos cinco minutos?” – pode ser respondida?

Cópia de _MG_9054
foto: Azul Acosta

Veja sua importância na vida do outro! Sempre que possível, ao encontrar alguém no seu caminho, no carro do lado, na fila da padaria, na farmácia, na feira, ao passar pelo porteiro, pelo varredor de rua, ou por outras pessoas, mesmo que você não as conheça ou não saiba o que falar, simplesmente sorria, pois o seu sorriso é a língua que toda a humanidade compreende, entende e “fala”!

Então comece por você, sorria para o espelho ao acordar, sorria para vida, não sofra com o passado e nem com o que ainda poderá acontecer, desmanche essa cara feia, ela não combina com você.

Ao rir você protege seu coração, contra infartos e derrames. Já deu uma olhadinha nas pessoas que vivem em um eterno mau humor, sem paciência, agressivas, contrariadas – pessoas que se cobram muito, autoritárias e que não veem graça em quase nada na vida? Elas vivem em um processo de tensão muito maior e esta tensão propicia uma descarga muito maior de adrenalina e consequentemente uma maior pré-disposição para os infartos e derrames.

Faça de sua família, escola, faculdade, trabalho e de todos que você tem contato, algo que o faça tocar na alma das pessoas. Que seu sorriso seja a impressão digital fixada nelas. O sorriso gera alegria, dá sustento e é sinal real fraternidade. Antoine de Saint-Exupéry diz: “No momento em que sorrimos para alguém, descobrimo-lo como pessoa, e a resposta do seu sorriso quer dizer que nós também somos pessoas para ele”.

Então vamos sorrir! Sorria e faça alguém sorrir. A humanidade agradece.

Bruno Severo Gomes | Doutor em Microbiologia. É Professor (área de microbiologia, parasitologia clínica e sexualidade humana) da Universidade Federal de Pernambuco. Atua em teatro científico, teatro infantil, educação e saúde, pedagogia afetiva e humanização hospitalar. Coordena a Palhaçoterapia do Hospital das Clínicas – UFPE. Escritor de literatura infantil, Assessor Técnico-Científico da Pastoral da Saúde da CNBB-NE2 na Temática de Humanização em Saúde.

Azul Acosta | recifense, graduado em fotografia pela AESO Barros Melo em 2015. Desenvolve o seu olhar com sensibilidade, atuando como freelance desde 2013. Apaixonado pela natureza e pela luz natural, busca extrair o que de melhor ela pode ofertar em suas imagens, produzindo imagens que une pessoas com a beleza da natureza. http://www.facebook.com/azulacostafotografia